O que é Big Data e como aplicar na sua estratégia de negócio

Big Data

Em primeiro lugar, se você ainda não entende perfeitamente o que é Big Data, certamente ainda não o utiliza em prol de suas estratégias e da melhoria dos resultados do seu negócio.

Além disso, não faltam motivos para implementar essa tecnologia, pois ela viabiliza o processamento de enormes quantidades de informações, com alta disponibilidade e desempenho.

Os gestores podem, com o Big Data, compreender com clareza os padrões e as tendências, organizando suas estratégias no sentido de tomar decisões mais seguras e elevando suas margens de acertos.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, as principais características do Big Data, bem como as suas possibilidades de aplicação prática, a fim de gerar melhores resultados e assegurar o sucesso da sua organização. Boa leitura!

O conceito de “Big Data”

A expressão “Big Dara” é usada para definir uma série de ferramentas de Tecnologia da Informação (TI) que propiciam a catalogação, a análise e a captura, em tempo real, de registros.

Os dados podem advir de inúmeras fontes (sejam externas ou internas), como processos internos, dispositivos eletrônicos, redes sociais, análises de mercado, cadastros de clientes ou, inclusive, pesquisas realizadas em meios offline. O benefício dessas ferramentas consiste em centralizar a análise e as coletas desses grandes conjuntos de registros em apenas um único local.

De maneira idêntica, as técnicas de processamento e estatísticas são efetuadas pelas máquinas, liberando os analistas para se concentrarem na identificação rápida de padrões e na previsão, com maior precisão, de tendências importantes ao negócio.

Em seguida, fica bem mais fácil elaborar rotinas eficazes e preparar a sua empresa para as inevitáveis mudanças do mercado por meio das chamadas “análises preditivas”.

Dito de outra forma, o Big Data oferece para o seu negócio todos os insumos necessários para que ele se mantenha, continuamente, em altos níveis de competitividade.

Os elementos principais do Big Data

Do mesmo modo, o conceito do “Big Data” fundamenta-se em 5 princípios. Cada um exerce influência direta na performance das soluções disponíveis no mercado, sendo conhecidos como os cinco Vs do Big Data. Confira a seguir.

Volume

Em virtude das características do Big Data, suas ferramentas devem ser capazes de lidar adequadamente com grandes volumes de dados. Só que, devido aos dispositivos conectados à IoT (sigla inglesa para “Internet das Coisas”, em tradução livre), internet móvel, smartphones e as redes sociais, a quantidade de dados que circulam nos meios digitais cresce continuadamente.

Em síntese, estamos cada vez mais dependentes dessas ferramentas que, graças à Inteligência Artificial (IA) e do aprendizado das máquinas (machine learning), levam as empresas a um novo patamar na análise das informações.

Essas tecnologias permitem aos analistas trabalharem com grandes fluxos de dados, com alta performance – frequentemente, as informações são coletadas e/ou criadas em tempo real. Logo, os sistemas baseados no Big Data devem conseguir operar com esses fluxos sem, para tanto, gerar altos custos computacionais ou perdas de performance.

Variedade

A variedade é outro aspecto essencial das soluções de Big Data, pois refere-se à capacidade de trabalhar com fluxos de informações variadas.

Conforme mencionado, os dados podem advir de diversas plataformas, tais como dispositivos móveis, redes sociais e, até mesmo, meios offline (como tabelas com informações relativas a transações financeiras e pesquisas de mercado).

Principalmente, cada informação tem uma determinada característica e, por esse motivo, são classificadas em 2 tipos principais, quais sejam:

  • Dados estruturados: em geral, são aqueles que, ao serem coletados, já aparecem devidamente organizados em bancos de dados ou similares;
  • Informações não estruturadas: são os dados que não possuem uma estrutura definida ou não foram coletados em bancos de dados.

Velocidade

Outro cenário a se considerar em uma estratégia de negócios é aquele no qual há um fluxo contínuo e volumoso de dados. Nesses casos, as ferramentas de Big Data precisam ter uma alta performance de análise, de tal modo que possibilitem a identificação rápida de padrões.

Por analogia, muitas empresas começaram a implementar tecnologias auxiliares destinadas a assegurar o melhor desempenho em suas soluções. Desde a perspectiva do Big Data, a chamada “computação em nuvem” passou a ser uma de suas principais “aliadas”.

Os analistas, quando executam esses sistemas na nuvem, adquirem maior escalabilidade operacional a um custo significativamente menor. Mas, se o fluxo de dados aumentar, fica mais fácil escalar os recursos, evitando que as novas demandas comprometam a velocidade de execução nas rotinas de análises.

Veracidade

Visando assegurar que as análises de dados possam atender às necessidades de sua estratégia de negócio, é imprescindível que a sua empresa consiga operar com conjuntos confiáveis de dados, não é mesmo?

Enquanto os registros utilizados, muitas vezes, não são estruturados, isso pode levar os seus empreendimentos a vivenciar contextos nos quais a quantidade de ruídos é alta, comprometendo a qualidade de trabalho do analista.

As soluções do Big Data devem estar adequadamente preparadas para realizar buscas por dados oriundos de fontes confiáveis, filtrando os conteúdos que são verdadeiramente relevantes para o negócio e eliminando todos aqueles que são irrelevantes ou não confiáveis.

Sobretudo, é dessa forma que você criará rotinas mais precisas de análises e terá maiores chances de sucesso. De tal forma que a segurança é outro elemento vital, especialmente, em função das novas regulações vigentes em termos de proteção de dados.

Como se sabe, a manutenção da integridade das informações para a análise, o compartilhamento e o armazenamento é fundamental para evitar usos indevidos e vazamentos – ocorrências previstas pelas legislações (tanto as internacionais quanto a nacional).

Valor

Para compreender inteiramente o conceito de Big Data, não podemos negligenciar este aspecto. Isto é, a solução implementada deve agregar valor aos seus processos, tornando cada vez mais competitivos os serviços e/ou produtos da sua empresa.

Outrossim, isso é possível por meio da identificação de padrões e de tendências que geram a possibilidade de tomar decisões assertivas, direcionando melhor as suas estratégias para a conquista de novos mercados e clientes.

O aspecto operacional também deve ser considerado, pois torna possível a utilização de ferramentas corporativas e a avaliação de rotinas internas, levando ao rastreamento de eventuais gargalos e dotando de eficiência a gestão dos processos.

Aplicabilidade do Big Data nas estratégias de negócio

O Big Data é aplicável nas mais distintas rotinas de negócios. Para que sua utilização seja aprimorada, é indispensável ter conhecimentos sobre essa tecnologia e, ainda, a capacidade de identificar os pontos de sua empresa que serão diretamente impactados a partir dessa implementação.

Partindo desse conhecimento, é possível efetuar direcionamentos mais eficazes de recursos, elevando os retornos dos investimentos nas soluções para a análise de dados.

Não apenas isso: como gestor, você deve se esforçar pela disseminação, em todos os setores da organização, de uma cultura “guiada por dados” (ou data driven). Dessa maneira, a sua empresa deve agir para que os colaboradores entendam a relevância dos dados para a definição de estratégias eficientes, trabalhando com base nisso.

Todavia, após decidir quais serão os ambientes em que as soluções do Big Data serão implantadas e edificar uma nova rotina voltada ao valor dos dados, não se esqueça de selecionar o tipo de solução que será aplicada no ambiente corporativo.

Os fatores a serem avaliados variam desde o suporte prestado pelos desenvolvedores do produto ao desempenho da ferramenta. Assim, a sua organização estará pronta para se beneficiar do Big Data e de seu uso consistente.

Criação de valor

É possível agregar valor real aos serviços e ao seu negócio ao direcionar todos os processos internos e investimentos na implantação de indicadores ao longo da cadeia operacional.

No momento em que essa iniciativa começa a ser realizada, você poderá chegar a importantes melhorias para elevar a qualidade, desde a criação de novas estratégias até as rotinas de gestão com potencial elevado de geração de lucros.

Articulados, tais fatores causarão grandes impactos no negócio. Por exemplo, o retorno sobre os investimentos será maior. Projetos de desenvolvimento e estratégias de serviços podem criar portfólios comerciais mais competitivos de maior potencial para a geração de renda.

Só para ilustrar, uma das vantagens imediatas consiste, precisamente, em uma maior facilidade de fazer com que a sua empresa consiga se diferenciar da concorrência, obtendo um posicionamento mais interessante em seu segmento de atuação.

Redução de custos

Se a sua empresa conta com uma cadeia operacional complexa, então, você deve ficar atento à gestão orçamentária. Ou seja, investimentos que não são bem avaliados podem gerar impactos negativos sobre a gestão de recursos de seu negócio.

Com efeito, é altamente recomendável identificar os aspectos que podem ser melhorados e, também, quais são os processos que devem ser eliminados, a fim de criar uma dinâmica mais eficaz e sem gargalos operacionais.

Ao mesmo tempo, o papel cumprido pelo Big Data, sem dúvidas, é de destaque. Os gestores podem usar as análises de dados na identificação das áreas de menor produtividade e ineficiência.

A partir do instante em que você for capaz de compreender, de uma vez por todas, o que é Big Data, as melhorias implementadas assegurarão que o seu negócio reúna as condições necessárias para criar processos com menores índices de desperdícios e redução de custos.

[Total: 1   Average: 5/5]

15000 e-mails gratuitos todos os meses.