Zoom fatigue: o que é e por que devemos nos preocupar?

Por conta do estado de pandemia causado pelo novo coronavírus, muitas pessoas estão trabalhando no esquema de home office. Embora ajude no isolamento social, a prática forçou muitas pessoas a ingressarem em um regime de muitas reuniões por videoconferência, causando uma exaustão mental que já ganhou nome: Zoom fatigue.

Esse termo pode ser literalmente traduzido como “cansaço do Zoom” e faz uma referência direta ao aplicativo que tem sido muito utilizado nos últimos tempos. O Zoom é a ferramenta de videoconferências que tem aproximado as pessoas no distanciamento social, mas tem levado muitos ao cansaço e à exaustão por causa do excesso.

Mas afinal, como essa condição se caracteriza realmente? Que semelhanças e diferenças ela possui com outros problemas relacionados ao excesso de trabalho, como a Síndrome de Burnout? Será que devemos ficar preocupado com o Zoom fatigue? E como isso pode afetar o marketing digital?

Vamos tentar responder essas e muitas outras perguntas neste artigo. Boa leitura!

O que é Zoom fatigue?

O Zoom tem sido uma ferramenta realmente espetacular para viabilizar o trabalho remoto durante a pandemia causada pela COVID-19. Porém, é exatamente o excesso de reuniões em vídeo que ocasiona o chamado Zoom fatigue. O termo pode ser, de fato, entendido e encarado como um cansaço de videoconferências, prática que tem aumentado muito nos últimos meses.

Contudo, a mesma expressão vale para qualquer tipo de chamada em vídeo, incluindo aquela realizada por outros serviços e aplicativos, como Skype, Google Meet, WhatsApp, Microsoft Teams, Slack e outras plataformas que disponibilizam essa função.

Especialistas argumentam que até mesmo chamadas em voz, áudios nos apps de mensagem e as próprias mensagens de texto podem estar ajudando a causar o Zoom fatigue nas pessoas.

O termo é bastante novo e tem se espalhado exatamente por conta da crise que vivemos atualmente. Não se trata exatamente de uma doença ou uma condição reconhecida pela medicina. Entretanto, devido à quantidade de pessoas que relatam experimentar uma exaustão de reuniões em vídeo (principalmente), convencionou-se dar um nome e dar mais atenção a essa condição.

Causas do Zoom fatigue

A causa número um, sem dúvidas, é o excesso de encontros por videoconferência que são realizados pelas pessoas. E não é somente a quantidade de reuniões em vídeo que preocupa, mas a duração desses encontros que podem, às vezes, se estender por longas e longas horas. Para os especialistas, esses fatores já seriam o suficiente para desencadear algumas consequências danosas para o ser humano.

Contudo, alguns profissionais que estão estudando o Zoom fatigue argumentam que não é somente o excesso que tem causado isso. A falta de planejamento para a mudança da rotina presencial para a virtual (ou remota) é outro fator responsável por desencadear essa condição.

Em reuniões presenciais, as pessoas não costumam ficar o tempo todo olhando para a tela do computador. Entretanto, nos encontros virtuais, a estimulação constante para o cérebro por conta do uso frequente de PCs e smartphones tem causado esse tipo de fadiga mental experimentada por muitas pessoas.

Sintomas observados

Não existe uma lista organizada de problemas e sensações negativas causados pelo Zoom fatigue. Contudo, a maioria das pessoas que experimentaram essa condição relataram os seguintes sintomas:

  • Dor de cabeça;
  • Dor nos olhos;
  • Dores musculares (especialmente nas costas, braços, pernas e nos músculos da face);
  • Sonolência;
  • Desatenção;
  • Cansaço;
  • Insônia;
  • Estresse;
  • Ansiedade.

Como você pode ver, a lista de sintomas é bastante variada e não apresenta muita uniformidade (com exceção dos três primeiros itens da lista). É por isso que muitos profissionais da saúde estão evitando chamar o Zoom fatigue de doença, mas sim uma condição passageira que está sendo ocasionada por um contexto específico. Além disso, esse problema é bem diferente de outras doenças relacionadas ao trabalho.

E a Síndrome de Burnout?

A chamada Síndrome de Burnout é a doença que mais afeta os trabalhadores que se esforçam em excesso. Essa anomalia afeta aquelas pessoas que experimentam uma exaustão por conta do trabalho, mas sempre é acompanhada de sentimentos negativos, como falta de retorno, tristeza por conta de um ambiente negativo, frustração ou algum tipo de mágoa.

A Síndrome de Burnout também é conhecida por Síndrome do Esgotamento Profissional, o que evidencia ainda mais a sua causa. Diferente do Zoom fatigue, essa condição é caracterizada como uma doença pela medicina, categorizada como um distúrbio emocional com sintomas como estresse acentuado, esgotamento físico e exaustão extrema.

O termo “Burnout” é a união de duas palavras em inglês, “burn” (que quer dizer “queima”) e “out” (que quer dizer “exterior”). Essa síndrome é bastante comum em profissões em que os trabalhadores precisam cumprir longas horas de jornada de trabalho, como policiais, professores, médicos, jornalistas, enfermeiros, entre outros. A depressão profunda também pode estar associada à Síndrome do Esgotamento Profissional.

Como prevenir o Zoom fatigue?

Embora possa não parecer tão grave quanto a Síndrome de Burnout, o Zoom fatigue é uma condição que exige atenção. Caso contrário, ela pode evoluir para algo mais grave, como a própria síndrome já referida. Por isso, algumas medidas podem ajudar a prevenir ou combater os sintomas desse problema:

  • Estabeleça pausas regulares de duração mínima de 20 minutos entre longas jornadas de trabalho;
  • Tente diminuir a duração das reuniões para que elas jamais ultrapassem uma hora – e tenha um intervalo de 30 minutos entre um encontro e outro;
  • Pratique exercícios regularmente – isso produz hormônios que reduzem o estresse e ajudam a desviar a mente dos problemas;
  • Mantenha uma alimentação saudável diariamente, alimentando-se com frequência de frutas, legumes e muita água;
  • Aproveite os períodos de folga (após o expediente, feriados e finais de semana) para fazer atividades que não estejam relacionadas ao computador, evitando assistir filmes, séries, jogar videogame e usar as redes sociais.

Zoom fatigue pode afetar o meu marketing?

Estamos diante de uma condição ainda muito nova e que está sendo descoberta aos poucos pelos profissionais de saúde. Por isso, é muito difícil dizer se o Zoom fatigue pode trazer consequências negativas para o marketing, especialmente o digital.

Como talvez algumas pessoas experimentem usar menos o computador e smartphone, pode ser que isso afete negativamente suas campanhas, mas não podemos afirmar com precisão.

Entretanto, o que podemos dizer é que o Zoom fatigue é uma condição séria e que deve gerar preocupação das pessoas. Ela pode evoluir para problemas mais graves e desencadear outras consequências indesejadas. Portanto, se você sofre com isso ou conheça alguém que esteja sofrendo com isso, envie este artigo da SendPulse para conscientizar e ajudar essa pessoa.

[Всего: 0   Средний:  0/5]

15000 e-mails gratuitos todos os meses.