Você realmente sabe o que é marketing e como funciona?

Há algumas definições do que é marketing, assim como existem práticas diferentes neste universo com finalidades semelhantes. 

Para Philip Kotler, um dos pais do área, o marketing é um processo, no qual há ofertas e troca de produtos que agregam valor à vida das pessoas.

Esse conceito está na obra Administração de Marketing e vale destacar que existe um propósito holístico nas estratégias que envolvem essa prática. Não é à toa que Kotler defende que o processo é administrativo, mas também social.

Órgãos internacionais como a American Marketing Association definem esse conceito como um conjunto de estratégias que servem para comunicar, transmitir um propósito, trocar e oferecer valor para clientes, parceiros e instituições.

Ao longo dos anos, as definições foram atualizadas, as perspectivas mudaram e a forma de aplicar as estratégias é constantemente modernizada. 

Na perspectiva digital, ferramentas e adaptações fazem parte da rotina, mas ainda assim as ações offline podem complementar o posicionamento de uma marca.

Quer saber mais sobre as  fases do marketing, as diferenças entre mundo online e offline e os principais objetivos que esse conjunto de ferramentas visa atender? Nas próximas linhas você encontrará essas respostas!

O que é marketing?

Não importa qual é o segmento de atuação de uma empresa, existe algo que todos os negócios possuem em comum: gerar resultados e fidelizar os clientes. As estratégias de marketing servem para construir a base para que isso seja possível.

Prova disso é a finalidade da área que consiste em gerar valor, ao mesmo tempo em que a entrega do produto satisfaz os clientes e as ações geram lucro.

Imagine o cenário de uma empresa de portaria virtual que acabou de iniciar suas atividades  no mercado.

É provável que esse negócio tenha muitos desafios iniciais como o plano de negócios, o tom de voz da marca, o trabalho de branding e posicionamento, a pesquisa do público-alvo, além do próprio segmento que é algo que está em ascensão.

Não cabe ao departamento de marketing apenas divulgar os serviços da empresa ou construir folders promocionais para vender. 

É preciso entender que o cenário é muito mais abrangente e um trabalho de sinergia é o que vai destacar os diferenciais da portaria virtual, os motivos para investir e a proposta de valor que empresas e moradores de condomínios residenciais podem receber.

Como demonstrar o valor que o controle de acesso externo, por meio da tecnologia, pode melhorar a segurança das pessoas? De que forma abordar o público com mensagens relevantes? 

São questionamentos como esses que profissionais especializados em marketing devem responder. 

De forma geral, listamos alguns objetivos da área. Confira abaixo:

  • Aumentar o número de vendas;
  • Construir e gerenciar o posicionamento de uma marca;
  • Melhorar a visibilidade da empresa;
  • Atrair parcerias;
  • Fidelizar parcerias e clientes.

Evolução do marketing

O foco de uma empresa é oferecer o melhor para seu cliente. Portanto, entender os hábitos e comportamentos do consumidor é a base para implementar qualquer ação dentro da empresa, seja ela de traslado executivo, ou qualquer outro segmento.

Isso porque, independentemente do setor, esses conhecimentos são muito valiosos para quem trabalha com campanhas e relacionamento.

Ao longo dos anos, o marketing evoluiu. Fatores sociais, a presença da internet, a mudança de comportamento e às exigências quanto à proposta de valor mudaram junto. 

Em uma sociedade, há padrões que se transformam com o tempo e, sendo o social uma parte extremamente importante em relação às práticas da publicidade e propaganda -assim como da estruturação do marketing – entender a mudança é vital para sobreviver.

Para se ter uma ideia, isso ocorre desde uma academia com nutricionista que oferece serviços diferenciados de treino, até outros negócios que precisam ver as mudanças que ocorrem para que estejam à frente da concorrência.

No cenário da academia, houve um tempo em que fazê-la academia era associado exclusivamente à beleza e ao foco no projeto verão. Hoje, as pessoas também buscam esse serviço por questões de saúde, qualidade de vida e recomendações médicas.

Acompanhar os padrões de comportamento é importante neste sentido para saber quem é o seu público, como dialogar com ele e qual é a estratégia mais eficaz para sensibilizá-lo dentro da fase em que ele se encontra na jornada de compra do consumidor.

Um personal trainer para idosos, por exemplo, irá atender um grupo específico, com seus respectivos desafios. Já um instrutor de dança pode ter um público diverso e assim por diante. 

Independentemente da situação, saber o que é importante na evolução do marketing faz parte para consolidar as estratégias e avaliar o que já não faz sentido nas abordagens.

As principais fases do marketing  são:

1. Marketing 1.0

Caracterizado pela venda em larga escala, o foco das estratégias era oferecer produtos com um custo padrão e baixo investimento de produção. 

Nesse modelo, não existia a prática de segmentação e as estratégias eram massivas.

2. Marketing 2.0

Na década de 1980, os consumidores tinham mais acesso à informação e o valor do produto passou a ser definido pelo cliente. 

A prática de segmentação de mercado, com foco em uma entrega de qualidade, com o objetivo de encantar o público-alvo começou a ser disseminada.

3. Marketing 3.0

Como a sua marca agrega valor real a vida do cliente? A partir desse princípio, o conceito de marketing 3.0 começou a se expandir em 2010. Lembra do Kotler? Esse foi o responsável por levantar essa definição.

Nesse cenário, não basta fazer uma campanha sobre o custo-benefício das academias e do curso de pilates em São Paulo com o objetivo de convencer o público a abraçar essa ideia. É importante transmitir valores. 

As pessoas não são simplesmente consumidores, já que elas possuem uma trajetória completa, com sentimentos, mente, desafios e medos. 

Temas sociais estão em alta e, acredite, a responsabilidade social das marcas também é um fator que pode influenciar a decisão de compra.

Ou seja, não basta informar o valor de um produto para uma pessoa, já que as marcas também precisam agregar valor à sociedade.

4.Marketing 4.0

Os clientes são o coração da estratégia e podem replicar as experiências com a marca pelo mundo afora. 

Portanto, não basta captar o cliente, é preciso mostrar o que a sua empresa pode oferecer, com conteúdos relevantes e ofertas que fazem a diferença.

Com a internet, as pessoas buscam praticidade, agilidade e podem – em questão de segundos – propagar comentários bons ou ruins sobre a sua marca. 

Nesse cenário, os valores sociais continuam em alta e a mobilização pelos canais é muito maior.

Imagine uma empresa que trabalha com a elaboração de projetos como um sistema de proteção e combate a incêndio. Não basta destacar a obrigatoriedade do projeto em edificações comerciais e argumentar sobre a lei. 

É importante mostrar o quanto a sua empresa se preocupa com a saúde, segurança e proteção das pessoas. O atendimento humanizado também é uma oferta de valor, assim como outras ações.

Principais diferenças entre marketing e marketing digital

O mundo offline e online se conectam quando o objetivo é construir a imagem de uma empresa. No entanto, é importante esclarecer as diferenças entre o marketing tradicional em relação ao digital.

Se você assiste televisão, ouve rádio ou vê outdoors na rua com campanhas diversas sobre roupas, acessórios e serviços como o de automação de geradores de energia, saiba que essas são as mídias convencionais. 

Quando você para no farol de trânsito e recebe um panfleto ou folder, saiba que essa também é uma estratégia convencional. 

Na maioria das vezes, não existe uma estruturação completa para atingir o usuário, já que essa entrega costuma ser imediata, direta e estática. Já com o mundo digital, não há como negar a importância do posicionamento na internet. 

Por isso, o marketing é um nicho que engloba estratégias de inbound marketing para atrair as pessoas, por meio das soluções, e-mails marketing, anúncios, produção de conteúdo otimizado para buscas orgânicas e outras ações do meio.

A segmentação é mais estruturada nesse caso e, com o apoio de ferramentas, os profissionais conseguem analisar métricas, ter feedbacks, fazer testes e ajustar as campanhas em tempo real.

Vamos para um exemplo prático? Imagine que uma empresa especializada em traslado executivo e transporte turístico pode se encaixar nos dois universos. 

Na internet, essa empresa pode trabalhar com as redes sociais mais eficazes para encontrar a persona (ou melhor, ser encontrado por ela).

Para isso, ela precisará trabalhar com ações de conteúdos relevantes. Mais ainda, será preciso realizar a otimização do site e até investir em anúncios patrocinados,

No mundo offline, é possível realizar eventos ou participar de feiras e congressos que tenham algum vínculo com o translado. 

Nesse caso também é interessante fazer parceria direta com hóteis, empresas que trabalham com pacotes de viagens com finalidade empresarial e outros serviços semelhantes.

Não existe uma resposta certa, afinal, marketing é pesquisa, teste, estratégia e análise sobre cada caso e as premissas mudam de acordo com o segmento.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

[Всего: 0   Средний:  0/5]

15000 e-mails gratuitos todos os meses.