O que é mindware? Não é hardware nem software!

Mindware

Você costuma resolver seus problemas da mesma forma que há 20 anos? Provavelmente, não. O mundo mudou, nossas escolhas e a forma de pensar sobre determinados assuntos, também. Essa seria basicamente a resposta para a pergunta: o que é mindware?

Apesar de parecido com os termos hardware e software, o termo mindware tem mais semelhanças com Master Mind, cujo conceito está em trabalhar a mentalidade do crescimento. Isto é, pessoas bem-sucedidas conseguiram trabalhar suas mentes para conquistar seus impérios.

E o mindware, o que é? É a forma como pensamos em nossas escolhas, como desenvolvemos nossa capacidade de adaptação ao novo mundo. Você pode ser dono de uma empresa ou estudante de faculdade. O que importa é que a forma de raciocinar pode ser melhor trabalhada para responder às demandas do futuro.

Mas, para entender melhor como funciona esse método, vamos abordar o assunto e explicar o conceito do mindware. Acompanhe!

O que é mindware?

Mindware é a capacidade de raciocinar diferente sobre os mesmos assuntos, buscando uma resolução mais eficaz e escolhas mais acertadas. E como podemos trabalhar nosso mindware? Por meio da mentalidade de aprendizado.

Quantas vezes você ficou preso a um pensamento e, com isso, só enxergava uma saída para um problema? Ou achou que não ia conseguir alguma coisa, porque todo mundo usou um método que, para você, seria impossível?

Quer um exemplo? A ideia de fazer compras sem sair de casa começou há décadas, certo? De televendas (comércio por telefone) até chegar ao comércio eletrônico, muita coisa aconteceu. Imagine um empreendedor, na época, achar desnecessário fazer sua loja física atender à população através da internet?

Isso porque havia a desconfiança sobre a empresa e se, de fato, o produto comprado chegaria à residência. Esse pensamento de que não vale a pena por ser algo relativamente novo é o que trava um negócio e impede o crescimento.

É preciso, portanto, pensar no futuro, mas sem deixar para trás o passado, visto que é lá onde estão nossas práticas e pensamentos que precisam ser adaptados.

Pegando carona no exemplo acima, a partir do momento em que o seu negócio passa a ser online e tem visibilidade na internet, o que faltaria? Abordar o público de maneira mais assertiva, conhecendo suas preferências, sua persona (termo muito utilizado no marketing de conteúdo) e entregando diferenciais dos concorrentes.

Isso é exemplo de mentalidade de aprendizado. Aprender, absorver e pôr em prática para melhorar sua forma de solucionar problemas ou tornar seu negócio mais rentável.

Afinal, mindware e Master Mind são a mesma coisa?

São semelhantes, mas não a mesma coisa. Para ficar mais fácil a compreensão, vamos separá-los por tópicos:

  • O que é mindware? É a mentalidade de aprendizagem, ou seja, quando você se dispõe a aprender, a fazer novas escolhas e não a ficar preso a métodos passados.
  • O que é master mind? É a mentalidade de crescimento, ou seja, pensar positivo e com ajuda de uma equipe para, juntos, buscar soluções que ajudam a empresa a crescer. É o método das mentes brilhantes por trás de grandes empreendimentos.

Você pode, por exemplo, adaptar uma ideia do passado (aqui, mais uma vez, vamos dar o exemplo do e-commerce) e torná-la útil no tempo atual. Se antes o comércio eletrônico limitava as compras, hoje já é possível comprar eletrodomésticos, pagar contas e fazer cursos online.

Ao adaptar uma prática do passado e aprender a raciocinar sobre novas ideias a partir desse conceito, faz-se aquela ponte direta à mentalidade de crescimento. Por isso que mindware e Master Mind possuem semelhanças: um se conecta ao outro.

5 exemplos de mindware

Já entendemos até aqui que o termo mindware compreende um grupo de ferramentas para um pensamento mais eficaz. Inclusive, é título do livro de Angelo Lessa e Richard E. Nisbett, e que ajuda a analisar nossos problemas cotidianos e a pensar na solução de forma mais eficiente.

Isto é, além de ajudar um grupo de pessoas a trabalharem em prol do mesmo objetivo, o mindware também pode atuar em nosso cotidiano, sem necessariamente ter relação com problemas de trabalho.

Vamos dar alguns exemplos de como você tem raciocinado sobre alguns temas e como isso afeta seu dia a dia.

Perdendo o medo de perder

Sabe aquele ingresso caro que você pagou no cinema, cujo filme não valia a pena? Certamente você preferiu assistir ao filme todo “para não sentir que jogou dinheiro fora” – ou então decidiu sair, mas com a sensação de que perdeu dinheiro de qualquer maneira.

O medo de perder é o que faz a gente perder. É muito provável que você vá ao cinema já pensando se o filme vai valer o investimento, certo? Mas não pensa no filme em si, no prazer de estar com amigos ou fazendo um programa diferente do habitual.

Veja, mindware não é sobre autoajuda, em como pensar positivo atrai positividade. Mindware é sobre aprender a raciocinar, como já mencionado neste artigo.

Maximizando a inteligência

Você já ouviu falar que nossos genes determinam nossa inteligência? Apesar de uma crença predominante, já é fato que o ambiente em que uma pessoa vive pode moldar sua inteligência, para o bem ou para o mal.

Você pode, por exemplo, ter genes bons para a inteligência, mas seu potencial ser reduzido em um ambiente indiferente. Esse é o caso de famílias que insistem em ver seus filhos estudando para uma faculdade na qual eles não têm interesse. Ou consideram seus filhos pouco inteligentes porque não conseguem aprender determinada disciplina.

A partir do momento que esses filhos trabalharem sua inteligência, todo o potencial terá um grande proveito. Aprender a maximizar essa inteligência também é uma questão de mindware.

Identificando fake news

Você sabe distinguir entre o que é fato ou fake? Em época de fake news, é muito comum buscarmos ferramentas que nos ajudem a descobrir se tal notícia é verdadeira ou não. Mas o mindware pode ajudar nesse processo também.

Como a nossa mente está muito focada em crenças e paixões, como acreditar cegamente em determinada pessoa por ser do nosso círculo de amizade (isso vale também para ídolos do cinema, da música ou da política), é muito difícil discernir o que é verdade ou mentira.

Primeiramente, é importante saber que um comportamento correto não torna uma pessoa correta, bem como um comportamento errático não faz ninguém ser errado para sempre.

A partir do instante em que você entende essa máxima, fica mais fácil identificar, inclusive, uma notícia manipulada (não necessariamente falsa).

A arte do discernimento

Porque uma pessoa disse uma verdade ou foi honesta uma vez, não quer dizer que ela será sempre assim. Esse exemplo é uma ponte do exemplo acima, pois tem forte ligação com crenças fixas.

Vamos supor que você tenha lido uma notícia de fonte duvidosa, mas ela traz algo que você tanto quer acreditar. A tendência é compartilhar e pôr fé nessa notícia, certo? Só que você descobre que é fake news ou matéria deturpada, então, o que faz?

Você procura outra notícia do mesmo site que seja verdadeira para corroborar com aquela que você simpatizou. Afinal, você não está em busca da verdade, mas da verdade que caiba na sua fé em algo ou alguém.

O mindware ajuda a analisar certos fatos e comportamentos para que ninguém julgue de forma errada qualquer que seja o evento. Isso é útil no cotidiano e nos negócios.

Aprendendo a codificar eventos

A escola onde você estudou te ensinou a codificar eventos? Isto é, deixou de lado as abstrações (como testes de QI) para dar bons exemplos a fim de aplicar no cotidiano? Se não, eis o problema de muitos jovens que aprenderam de forma automática sobre algo que poderiam ir além.

Nem todo mundo gosta de soluções matemáticas, concorda? Por exemplo, você já deve ter ouvido a seguinte pergunta:

“Para que vai me servir saber onde está o X da questão?”

Imagine que exemplificar uma disciplina pode gerar bons resultados no futuro, seja no dia a dia, seja em alguma empresa. Então, por que as escolas não colocam isso em prática, ensinando ao aluno, por exemplo, a fazer seu imposto de renda ou INSS?

Matemática é muito mais que somar ou multiplicar; ela está integrada em nosso cotidiano.

Considerações finais

A principal falha de um modelo de pensamento atual, segundo Richard Nisbett, é o excesso de confiança. E, como vimos nos exemplos acima, confiar ou ter forte crença sobre algo nos impede de pensar adiante.

Ninguém é honesto só porque foi honesto uma vez. Isso é fato. Tem muita gente que deposita confiança em algo sem grande evidência comprovada, apenas porque sua capacidade cognitiva não permite pensar “fora da caixinha”.

Por isso, aprender a tornar a inteligência mais eficaz é a resposta mais correta para a pergunta “o que é mindware?” Você pode aprender a raciocinar, analisar comportamentos e palavras e buscar mudar para melhor, não importa qual seja o aspecto de sua vida.

[Total: 0   Average: 0/5]

15000 e-mails gratuitos todos os meses.