Gestão de Marketing: como montar um time completo com os profissionais certos

Ter um dream team de marketing é o objetivo de toda empresa atualmente. Uma vez que o marketing se tornou um dos pilares do sucesso de qualquer empreendimento, ter uma equipe especializada, capacitada e devidamente treinada faz parte do planejamento estratégico básico de uma empresa.

Pesquisas recentes apontam que a maioria dos profissionais da área de marketing tendem a ficar em média mais de 4 anos atuando na área. Com o fortalecimento do marketing digital, a tendência é que mais profissionais, especialmente os mais jovens, vão escolher trabalhar mais na área. No entanto, as mesmas pesquisas apontam que quase 50% dos profissionais atuantes não possuem formação acadêmica ou técnica na área de marketing.

Isso significa que tais profissionais não são devidamente qualificados para exercer tal trabalho? De forma alguma. Nem sempre uma formação acadêmica é o suficiente para garantir o bom trabalho de um profissional, seja ele da área que for.

Entretanto, é preciso investir – e muito – em uma estratégia de gestão de marketing, para que o time de profissionais da sua empresa tenha capacidade de atuar na área de forma produtiva. Mesmo que eles não tenham formação acadêmica em marketing, é possível garantir que sua empresa contrate e treine pessoas dispostas a aprender técnicas e estratégias típicas da área.

Por isso, nossa equipe de marketing do SendPulse elaborou um guia informativo completo e repleto de informações úteis e acessíveis acerca do assunto. Conosco, você irá aprender a montar uma equipe de marketing dos sonhos, bem como gerenciar tal equipe depois de maneira profissional e produtiva para a sua empresa!

Primeira abordagem: Philip Kotler e as fases do marketing

Quando falamos de gestão de marketing, precisamos falar antes do próprio marketing em si. Nós sabemos que o foco do marketing é o produto ofertado ao cliente e a recepção do mesmo pelo público, mas apenas a gestão de marketing irá possibilitar a criação de um produto atraente e que consiga vender bem.

Para Philip Kotler, professor e estudioso americano considerado pai e maior guru do marketing da modernidade, o marketing dos dias de hoje precisa se adaptar às urgências sociais. A estratégia de vendas de uma empresa tem ganho cada vez mais força por não focar mais tanto em vendas, ou até mesmo nos clientes, e sim em questões sociais e/ou socioambientais que fazem parte da realidade da vida de todos os seres humanos.

Mas claro, essas mudanças nos alicerces do marketing não foram repentinas. Abaixo, elencamos as três fases do marketing definidos por Kotler, fundamentais para entender os contextos socioculturais pelos quais as estratégias de marketing estão passando e como elas são importantes para traçar estratégias atuais e atemporais:

Marketing 1.0
Podemos definir o marketing 1.0 como a fase do marketing mais padrão. No início, as campanhas de marketing de diferentes empresas pelo mundo se focavam na padronização de produtos.

Com a otimização de processos, as grandes massas eram sensibilizadas, e os produtos vendidos em massa. Não à toa, o marketing 1.0 é conhecido como a era do marketing focada no produto e suas descrições mais técnicas e estéticas, sem levar em consideração individualidade do consumidor primário. Veja, abaixo, a propaganda da Kodak, para elucidar melhor a questão:

Percebe como as características do produto são a prioridade da peça publicitária? Não há quase nenhuma subjetividade no texto e nenhuma opção é levantada para o público ter de fato o poder de escolha. A variedade é quase nula e os produtos são vendidos em larga escala, quase sempre iguais.

Marketing 2.0
Com a chegada da era da informação e o acesso à informação crescendo cada vez mais, as pessoas passam a ter um poder de consumo maior, e conseguem consumir produtos mais caros com mais frequência. As marcas, ouriçadas por tal fenômeno, passam a priorizar os desejos e ânsias dos clientes, mesmo que os mesmos possam ser socialmente problemáticos ou até mesmo reforçar estigmas perigosos contra determinados grupos. A primeira e última palavra em uma equipe de marketing de quaisquer empresas do mundo é do cliente e, até certo ponto, isso pode ser benéfico. Mas, dependendo das demandas exigidas pela população, isso pode apresentar certos problemas com o passar do tempo.

Os maiores exemplos de propagandas dessa fase do marketing são os antigos comerciais de cerveja. Abaixo, podemos enxergar um claro padrão, de diferentes marcas de cerveja, no que diz ao tratamento da figura feminina nos comerciais:

Como foi possível observar, apesar de todas as modelos terem um certo protagonismo nas peças, suas imagens extremamente sexualizadas servem mais como objetos acompanhantes da própria bebida do que de degustadoras ou compradoras do produto. Nesses casos, as campanhas priorizaram uma provável demanda da maior parte da população consumidora das cervejas (população masculina), apesar da grande parcela de consumidoras mulheres da bebida.

Marketing 3.0
Aqui podemos dizer que nasce a chamada “Era do Valor” do marketing atual. Podemos entender que nessa nova fase, empresas e consumidores valorizam muito mais que a ânsia e os desejos do público consumidor demanda. As campanhas passam a demonstrar grande preocupação com questões sociais, grupos tidos como social, financeira e culturalmente minoritários, meio ambiente, recursos naturais e consumismo.

Abaixo, mostramos uma campanha da marca de cervejas Skol que representa bem essa mudança de abordagem que empresas tiveram com o passar dos anos, com a chegada do marketing 3.0:

Como podemos ver, a diferença é gritante, não é mesmo? Se durante o período de maior predominância do marketing 2.0, a abordagem apelava aos sentidos do público no âmbito sexual para vender os produtos, aqui questões menos apelativas e mais voltadas para a representatividade são levadas em conta, com um grupo de mulheres (negras, brancas e de idades aparentemente variadas) bebendo a cerveja, ao invés de estarem simplesmente segurando o produto. Além disso, há mais interação entre elas e todas parecem felizes por compartilharem a bebida em questão.

Ou seja, a chegada do marketing 3.0 foi um divisor de águas para empresas e consumidores, pois trouxe à tona a preocupação com questões sociais.

Marketing 4.0
Em entrevista recente do professor Kotler, o marketing 4.0 acompanha a chamada revolução digital. Nessa era, as empresas devem encontrar uma forma de unir o marketing tradicional (das grandes mídias como a televisão, o rádio e os jornais) ao marketing digital (mídias sociais, email marketing, newsletters etc .).

Quem nunca viu uma propaganda enquanto navegava pelo Youtube? Existem muitas estratégias do marketing 4.0 para colocar em prática, desde as mais diretas e consideradas “agressivas” (ou denominadas ´push´´) até as mais indiretas (classificadas como ´´pull´´), que visam trazer o cliente para a sua marca de maneira natural.

Segunda abordagem: Os benefícios da gestão de pessoas para o marketing atual


Agora que você já conhece as diferentes fases do marketing e as definições de cada uma delas por Kotler, podemos abordar agora a importância da gestão de pessoas como estratégia de marketing digital.

A gestão de pessoas para o marketing é uma peça chave para a criação de ideias inovadoras e o bom andamento das vendas. Existem inúmeros benefícios que comprovam não somente a eficácia da existência de um gestor de marketing em empresas de quaisquer segmentos, mas os benefícios de uma gestão bem organizada colocada em prática.

Abaixo, elencamos as mais relevantes para o seu empreendimento:

  • Maior conversão de vendas: o primeiro fator e de maior peso em uma empresa: a conversão de vendas é prioridade número um de todo empreendedor, seja ele dono de uma multinacional ou de uma micro empresa. Com a gestão de marketing nas mãos de um bom profissional, capaz de liderar sua equipe capacitada, as conversões serão uma consequência natural de campanhas bem organizadas.
  • Menos conflitos profissionais: com a gestão de pessoas sendo realizada por um bom profissional, os conflitos entre os colaboradores é diminuído drasticamente, e a harmonia é mantida para a realização de um bom trabalho. Brigas e desavenças tendem a ganhar força sem uma pessoa para mediar opiniões divergentes.
  • Análise de comportamento de stakeholders: o significado de stakeholder, em língua portuguesa, abrange o significado geral das partes interessadas em um determinado projeto de uma empresa. Com uma gestão de pessoas profissional na área de marketing, é possível atender da melhor forma as demandas exigidas pelos stakeholders.
  • Estudar a concorrência: com uma boa gestão de marketing, é possível avaliar estratégias da concorrência, neutralizar ameaças e se inspirar em pontos fortes explorados por outras empresas. Afinal, por que cair em erros já foram cometidos por outros empreendimentos e que você poderia evitá-los caso seu gestor e sua respectiva equipe observassem mais? Há de se refletir sobre isso.
  • Total controle dos seus resultados: quando muitos ficam responsáveis por uma determinada tarefa, as chances de ela ser deixada de lado são grandes. Com um gestor de marketing à frente da equipe, é possível gerar relatórios personalizados com indicadores e métricas previamente estabelecidos. Assim, com a análise de resultados, estratégias poderão ser traçadas com mais facilidade.
  • Aumento da organização: com um gestor tomando conta de sua equipe de marketing, a divisão de tarefas é feita de maneira mais organizada, igualitária e coordenada. Sem gestão, a organização da empresa, bem como a divisão de tarefas (e a entrega das mesmas pela sua equipe) corre sérios riscos.
  • Aproveitamento de sazonalidades: muitas vezes, determinados períodos podem passar em branco, sendo que poderiam oferecer grandes oportunidades para a equipe de vendas e/ou até mesmo do marketing. Com um profissional responsável pela gestão, as sazonalidades são melhor aproveitadas, e objetivos são adequadamente criados para cada época.
  • Controle financeiro: em tempos de crise econômica, há coisa pior que o desperdício de recursos financeiros? Com uma pessoa à frente da gestão de marketing, há maior controle sobre gastos e investimentos em estratégias de marketing digital.

Direto ao ponto: como montar um time completo com os profissionais certos de marketing

Agora, você possui o conhecimento básico em suas mãos! Conhecendo as fases do marketing e a importância da gestão de pessoas para sua empresa, podemos abordar o tema chave deste blogpost com mais clareza e objetividade.

Podemos ir direto ao ponto e, abaixo, explicaremos com exatidão como montar um time completo com os profissionais certos de marketing:

  • Identificar os reais desafios do setor: descobrir as dificuldades específicas de cada posição na sua equipe de marketing é fundamental antes de montar sua equipe de profissionais. Com essas informações, será mais fácil ter em mente quais características o profissional a ser contratado deve ter, o que será cobrado dele, o salário que receberá pelo trabalho etc. .
  • Estabelecimento de um perfil específico: o perfil comportamental que você exige do seu profissional deve ser previamente estudado e estabelecido. Isso irá ajudar no processo e poupará tempo do gestor e/ou RH. Pense na personalidade da pessoa que sua empresa lida melhor: pessoas extrovertidas, mais ou menos focadas, introvertidas etc. .mas lembre-se sempre: diversidade no ambiente de trabalho é fundamental para uma empresa saudável e produtiva, enquanto que a homogeneidade entre os colaboradores contribui com rusgas, desentendimentos e alta rotatividade em todas as áreas, incluindo a de marketing.
  • Montar o processo seletivo: nesta etapa, os passos usuais podem ser devidamente seguidos. Divulgação do cargo, recebimento de currículo, análise dos mesmos e convocações para entrevistas, sejam elas presenciais e/ou por internet. Se for o caso, seu gestor pode contar com ferramentas tecnológicas também, para fazer a chamada “peneira”, como softwares ou testes de personalidade e/ou de conhecimentos gerais dos profissionais.
  • Treinamentos periódicos: por mais que você contrate profissionais altamente qualificados e preparados para o trabalho, treinamentos corporativos são fundamentais para sua equipe a par das novidades de marketing e sempre munidos de novas habilidades para o mercado. Isso também vale para o departamento de vendas, RH, gerência etc. .
  • Dar/receber feedbacks com frequência: dar e receber feedbacks a sua equipe é fundamental para direcionar os colaboradores no caminho a ser seguido. Logo, é de extrema importância fazer isso periodicamente. Além disso, é possível reconhecer os méritos e apontar as falhas individualmente. Lembre-se: sempre opte por dar feedbacks negativos ou positivos individualmente aos seus profissionais.
  • Reconhecimento de colaboradores eficientes: uma equipe mal motivada, sem salários adequados aos seus serviços realizados ou a sobrecarga de tarefas pode comprometer a qualidade do serviço efetuado, bem como o bom andamento de campanhas de marketing. Promova a meritocracia em sua empresa, reconhecendo o trabalho do seu colaborador, e sua equipe trabalhará mais e melhor.
  • Atitudes diante da incompetência: assim como é necessário agir positivamente no reconhecimento do trabalho bem efetuado dos seus colaboradores, é preciso também ter atitudes enérgicas quanto à incompetência dos mesmos. Lembre-se sempre: o amadorismo no marketing digital não tem vez! Ao não se levantar contra a incompetência de um funcionário, você indiretamente premia a mediocridade e despreza a competência profissional.
  • Bagagem cultural e curiosidade: como dissemos anteriormente, nem sempre a formação acadêmica pode trazer consigo a competência profissional necessária para um funcionário da equipe de marketing. Entretanto, preze sempre pela bagagem cultural de seus colaboradores, bem como se os mesmos possuem curiosidade pelas coisas, e não somente assuntos que envolvam marketing. Eles se interessam por atualidades, leitura, escrita, teatro, cinema, estilos diferentes de músicas? Isso tudo deve ser levado em consideração.
  • Análise de habilidades: as pessoas não são capazes de fazer as tarefas profissionais de maneira igual. Por isso, fique atento às capacidades profissionais de cada colaborador: se um deles é muito produtivo com  blogposts, isso não necessariamente quer dizer que ele pode ficar a frente das redes sociais ou do e-mail marketing, por exemplo. Você também pode levar em conta as preferências e gostos pessoais deles, oferecendo sempre serviços que seus colaboradores se identificam mais e gostam de realizar.
  • Recomendações e indicações: esse elemento não deve ser priorizado, mas deve ser levado em consideração. Seu gestor deve conversar com amigos, colegas e outras pessoas já familiarizadas com a empresa; caso elas conheçam alguém competente e disposto a trabalhar, essas pessoas devem ser avaliadas e devem passar por todo o processo seletivo, como outros funcionários passarão.
  • Use a Internet: caso você não conheça ninguém que esteja disposto a ocupar a vaga disponibilizada pela sua empresa, use e abuse da Internet. Redes sociais como o LinkedIn estão aí para te ajudar a pesquisar por candidatos e aumentar seu network para possíveis recomendações e/ou indicações.

Considerações finais

Como podemos observar, existem diversos elementos a serem observados no processo de organização e gestão de uma equipe de marketing produtiva e eficiente. Nenhum deles deve ser subestimado por seu gestor nem por ninguém do empreendimento, pois isso poderá comprometer um dos pilares do sucesso da sua empresa: as campanhas de marketing, especialmente as de marketing digital.

Nós do SendPulse valorizamos profissionais qualificados e dispostos a fazer a diferença. Fique sempre de olho em nosso conteúdo em nosso site oficial, blog e redes sociais para conhecer mais estratégias de marketing e como alavancar os resultados da sua empresa com os profissionais certos! 

[Total: 1   Average: 5/5]

15000 e-mails gratuitos todos os meses.